Voltar para Sobre nós

A BorgWarner Oferece Soluções para Descarbonização

  • Soluções de redução de emissões para motores à combustão interna que evitarão cerca de 18 milhões de toneladas métricas de CO2
  • Produtos pensados para atender a demanda nacional atual em biocombustíveis
  • Sistemas para segmentos de elétricos que reduzirão as emissões de CO2 em cerca de 400.000 toneladas métricas

    Itatiba, Brasil, 6 de Setembro de 2022 – A BorgWarner, líder global no fornecimento de produtos e soluções de mobilidade inovadoras e sustentáveis dentro da indústria automobilística, vem se destacando ao oferecer produtos de alta tecnologia para um mercado em constante evolução diante dos possíveis caminhos rumo à descarbonização. No Brasil, um estudo da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), em parceria com a consultoria BCG, mapeou diferentes rotas tecnológicas para o setor de transportes, em três delas a BorgWarner tem soluções limpas.

                “O Brasil tem uma posição vantajosa em termos de emissões, considerando sua matriz energética e todas as possibilidades de rotas tecnológicas disponíveis. E, o mais importante, independente de qual rota que o país decidir seguir, a BorgWarner oferece soluções limpas e sustentáveis para atender as demandas atuais e futuras”, afirma Wilson Lentini, Diretor Geral para Emissions, Turbo e Thermal Systems da BorgWarner Brasil.

     

    Combustíveis fósseis - Um dos grandes desafios na rota dos combustíveis fósseis (gasolina, diesel, carvão natural e gás natural), é reduzir emissões. Segundo estudos do Observatório do Clima, o setor de transportes foi responsável por 13% das emissões do país em 2019 e, deste total, 91% foram provenientes do transporte rodoviário.

                 “Oferecemos diversas soluções tecnológicas que contribuem para a redução das emissões, como turbocompressores, VCT e válvulas EGR. De acordo com o Relatório Anual de Sustentabilidade 2022, produzido pela BorgWarner, os turbocompressores fabricados e vendidos pela empresa em 2021 são capazes de reduzir a emissão de carbono em, aproximadamente, 18 milhões de toneladas métricas durante a vida útil média de cada veículo.” , comenta Lentini. Hoje, a BorgWarner está anunciando a fabricação no Brasil de uma nova geração de turbos, a série B70H, em sua fábrica de Itatiba (SP) – veja material anexo.

                No Brasil, o componente turbocompressor é fornecido para diversas aplicações leves e pesadas. Um exemplo é o turbo S410 para o caminhão extrapesado, Novo Actros da Mercedes-Benz. Esse turbo oferece uma tecnologia de estágio de compressor com design renovado, o que melhora a eficiência na termodinâmica e do compressor, com temperatura de compressão de ar e consumo de combustível reduzidos.

                Já as tecnologias de sincronização de came variável (VCT) da BorgWarner melhoram as emissões, o desempenho e a economia de combustível do motor. “Estimamos que nossos produtos de sincronização de cames variável produzidos em 2020 permitirão que os motores nos quais estão instalados evitem, aproximadamente, a geração de 10 milhões de toneladas métricas de CO2 ao longo de sua vida útil”, acrescenta o executivo.

     

    Biocombustíveis - A BorgWarner foi pioneira a disponibilizar turbocompressores para motores flex de três cilindros fabricados no Brasil. “Um feito importantíssimo que nos posiciona como verdadeiros parceiros na indústria automotiva nacional”, comenta Lentini. O turbos da BorgWarner estão presentes em modelos como VW Up!, VW Golf, VW Polo, VW Virtus, VW T-Cros, VW Nivus, Jeep Compass e Fiat Toro, por exemplo.

                “Oferecemos um turbocompressor pioneiro no mercado brasileiro, que atende às necessidades de motores flex, no caso os propulsores 1.3 de quatro cilindros, com potência de 180 cv (gasolina) e 185 cv (etanol)”, explica o diretor da BorgWarner. O design compacto do turbocompressor da marca atende a motores de alto desempenho com dimensões menores, reduzindo emissões e o consumo de combustíveis.

                Outro pioneirismo da empresa foi o desenvolvimento de sistemas de injeção de combustível aquecido, que otimizam a performance dos motores a etanol. É um sistema que foi desenvolvido em 2012, com o objetivo inicial de eliminar o tanque auxiliar de gasolina para desempenho em baixas temperaturas com o Etanol. Mas o sistema também se tornou indispensável no cumprimento das leis de emissão, reduzindo a geração de hidrocarbonetos quando o motor está frio. O aquecimento ocorre na ponta do injetor da BorgWarner, garantindo o aquecimento desde a primeira injeção de combustível - quando aquecido, o etanol tem melhor vaporização e emissões reduzidas.

     

    Eletrificados - Globalmente, a BorgWarner continua investindo continuamente para expandir seu portfólio de soluções para os veículos elétricos, incluindo, por exemplo, os próprios sistemas de baterias para esses segmento.

                   Além disso, conta em seu portfólio com os inversores, que estão entre os três principais componentes que permitem a propulsão de veículos elétricos a bateria. Eles convertem eficientemente a corrente direta da bateria em corrente alternada, alimentando o veículo. Em 2021, a BorgWarner produziu 134.000 inversores que acionam os motores de aproximadamente 98.000 veículos. Essa implantação do produto contribuirá para reduzir cerca de 400.000 toneladas métricas de CO2 ao longo da vida útil dos veículos. À medida que a adoção de veículos elétricos acelera, a BorgWarner prevê que sua produção de inversores em 2026 aumente significativamente, levando a uma redução de emissões de 7 milhões de toneladas métricas de CO2 ao longo da vida útil desse componente.

Overlay Title

close